terça-feira, maio 21, 2019

O 1º post deste blog (de há quase 14 anos!)

quarta-feira, agosto 03, 2005

Por tantos sítios tenho andado

Cuchila Alta - Uruguai - 2004/2005
sempre à procura... (das teclas?)

Mais de UM MILHÃO!

Sem dar por isso, este blog ultrapassou o milhão de visualizações. Contados, contabilizados desde 2009, quando ele começou em 2005
Ao vê-lo, senti... qualquer coisa. Uma emoçãozinha! Um sentimento de tarefa realizada... e a continuar!
O oceano é tão imenso e o meu balde de praia tão pequenino... mas nem por isso há que desistir ou sequer esmorecer.

As saudações do


No último debate na RTP1

Veja! Sem espectáculo... um espectáculo!

https://www.facebook.com/CDUPCPPEV/videos/2259844584238146/?t=10

... esmagador!

O candidato da CDU e os outros

Parece um labirinto mas não é. Clarinho como água depois de ser muito mexida e turvada:

https://www.facebook.com/acordarpt/photos/a.100366523457036/1242984465861897/?type=3&eid=ARCOILEBEfa9eTJoNiwyadMYK8wcTOldE3lOIQb0mV-kAaMSvnjE0xfk-xltmoWiLZ_b9q441MhngOEa&__xts__%5B0%5D=68.ARBXu5zwFCs1ynj3Hqoy0Ttjc6mR2djCvnpxuUcBBMU0FVr9KXtaylW71TxlTRcb5TSD4U27aLIvk68Rkp73kZkKNPipXsnWq2QS7ZQFb0ap3yWlXxArKXe7qWXNwdUm_AeJ220ZXui3ESyrH1cGzka41LDMKTeAk4VGQzc23P9g3pko7ITLO-RMrdnVulIfPP_e08PC8W2YW62x-mg5aFYvJAuWU2d3WHP0biE4UCBbX-XHBB7JHVLbeeRLNze_QGD1W4vh_IQu1JVODDcD44Wvdf5O0_CGXMLQaz2JjQQZX-ozmT_Fd2Y1D1qIR9BaLRZevTGHeBS1813WO1A3J90E1Q&__tn__=EEHH-R

Bem apanhado!

sexta-feira, maio 17, 2019

Quem é o inimigo (de classe), quem é?

de as palavras são armas:
Senhor Santana: - Que SNS é este?


Na tarde do mesmo dia em que é publicada esta prenda, Santana Lopes despista-se, é desencarcerado e conduzido de helicóptero para o Hospital Universitário de Coimbra, onde uma equipa composta por bolcheviques, lhe prestou os melhores cuidados.

Os casos graves e dispendiosos como os que aconteceram ao senhor Lopes, vão para o SNS e são  pagos com os nossos impostos.

Deus por vezes está atento às bacoradas dos seus fieis e, Santana Lopes, fervoroso católico, se tivesse condições poderia refletir sobre este recado do Divino.
___________________________________

e podem virar-se contra 
quem as dispara!

quinta-feira, maio 16, 2019

terça-feira, maio 14, 2019

O ministro SS


Perfil(ad)os
(nova secção em que todos os erros são propositados e intencionais…menos os que o não são)



1.    O MSinistro SS
(com muitos entre parenteses)

Nos seus tempos juvenis, este hoje muito ministro investiu-se de revolucionário. Apressado (revolução, já!), excessivo, fez de seu inimigo os que, desse lado progressista da História, insistiam no como e n’o que fazer?;
Nos seus tempos de adult(er)o (se é que os teve), teria ganho temperança, passando para a trincheira trincadeira dos do Estado (mas não estádio!) Social(-democrata) , mas (ah, pois…) refinando o seu ódio aos mesmos de antes, confessando depudorado gosto de malhar nesses (comunistas? Brrrr!).
Nestes tempos de hoje e de sua idade (tão-só mais) avançada, alcando(u)rado a altos postos da governança (ministro de Estad(ã)o e com pasta de negócios estranhos), não se poupa, incontinente, em declarações e entrevistas progressivamente mais regressivas, biolentas, vocife(i)rantes, crendo-se o campeão ou o ás dos azes do baralho dos filhos da luta, no aproveitar (onde e para quem estará o ganho?) do impisódio contra a Venezuela.
Nos que serão os seus tempos próximos de velhice ou de mais senil idade, fará (guai) dó nos seus gesticulares e parlapiares, mas desses – que serão os seus inevitáveis tempos – já chega um cheiro nauseabundo. A pôdre!
Chama-se Santos Silva (ou será Silva Santos?, ou será Santo Sida?, ou será Sílvio Sanha?... não importa desde que seja SS em ordem arbitrária).
-----
Verrrinoso, eu? Talvez…
Venenoso… decerto, desde qu’acerte!

domingo, maio 12, 2019

Eleições para o PE

VEJA!

https://facebook.com/CDUPCPPEV/videos/2318007735113986/?t=258

ESPECTACULAR!

Para este domingo

Perguntas e Respostas

PCP-PEV
Sobre este site
CDU.PT
CDU - Coligação Democrática Unitária - PCP-PEV



quarta-feira, maio 08, 2019

Agora, é o IRÃO!

do quase-diário:


(...) 

Durante o jantar, num restaurante, apanho, lá do alto onde está pousado o televisor, as últimas – e descozidas – dos noticiários.

&-----&-----&

Um  nome substitui o que era habitual, o da Venezuela – há 30 anos era o da Polónia ou o do Afganistão, da “Afgãnislónia” –, o nome de um Irão.

&-----&-----&

O que é isso do Irão?, que raio de coisa é essa que me soa, quase inesperadamente, aos ouvidos.

&-----&-----&

Não é surpresa, já por aqui andou, mas quase surpresa é… tenho umas vagas reminiscências (está nas etiquetas do blog!).

&-----&-----&

Ah!, é um País!, diz-me a Wkipédia que “O território actualmente ocupado pelo Irão é habitado desde os tempos pré-históricos. A história escrita da Pérsia  começa em cerca de 3 200 a.C. com a cultura proto-elamita e com a posterior chegada dos arianos e a formação dos sucessivos Impérios  Medo e  Aquemênida.

&-----&-----&

Pois é… poucos séculos (ou milénios?) antes do Cristóvão Colombo se enganar de lado e aportar à direita em vez de dar a volta e chegar à esquerda.

(...)


Mas os Estados Unidos vão consertar as coisas, 
depois de terem rasgado o compromisso 
de acordo anti-nuclear que tinham assinado
com o dito (será mal-dito?) Irão.

Escolha o seu futuro - eleições europeias (????!!!!)



Como é possível tanto despudor?
Um belíssimo video, manipulador de sensibilidades, de emoções únicas, com uma mensagem que apela a estar juntos nesta dita Europa, nesta dita Europa que não existe, que é o contrário do que o vídeo mostra e traz legenda, o invés da vida que dá vida, da vida a nascer para a vida!
Votemos sim!, votemos para contribuir para uma outra Europa, para a transformação do Mundo, para tornar este mais humano, de que a legenda manipula a mensagem, a mensagem que há que desmanipular. 
  
Ao contrário do que é mais habitual, ouça-se (e siga-se) a mensagem, combata-se o mensageiro. 

segunda-feira, maio 06, 2019

Quando o momento é de clarificar posições...


... como deveriam ser todos! Quando anda tanta poeira no ar!

NOTA DO GABINETE DE IMPRENSA DO PCP
Sobre as votações relativas à reposição
do direito à progressão na carreira
6 Maio 2019

O PCP levou à discussão na Assembleia da República propostas que correspondiam integralmente à reposição do direito à progressão na carreira e às reivindicações dos professores, ponderou devidamente todas as votações realizadas na Comissão de Educação e Ciência e não cederá às chantagens do Governo PS, do PSD ou do CDS no sentido de travar a concretização dos direitos dos professores e restantes trabalhadores com carreiras especiais.
A solução para o problema que está criado com a recusa do Governo PS em concretizar o direito à progressão na carreira e o recuo de PSD e CDS, relativamente a um texto que aprovaram e defenderam na passada 5.ª feira, tem de ser a de lutar pela aprovação desse texto em votação final global e de prosseguir a luta pela plena concretização dos direitos de todos os trabalhadores.
As propostas do PCP de faseamento em 7 anos do pagamento integral da progressão na carreira com um calendário idêntico ao da Região Autónoma da Madeira, de eliminação de situações de ultrapassagens entre professores, de aproveitamento do tempo de serviço para efeitos de aposentação ou acesso a determinados escalões, entre outras, caso tivessem sido aprovadas, permitiriam que a lei fixasse já as soluções necessárias para o conjunto dos problemas que estão colocados.
Apesar de essas propostas do PCP não terem sido integralmente aprovadas, o PCP viabilizou a aprovação de propostas de outros partidos e aprovará o texto daí resultante, texto que, de resto, todos os partidos apoiaram, defenderam e valorizaram, à excepção do PS.
Apesar de remeter para negociação com o Governo aquilo que podia já ficar definido na lei, o texto aprovado na Comissão reafirma uma vez mais a recuperação integral do tempo de serviço, depois do que ficou estabelecido nos Orçamentos do Estado de 2018 e 2019 e na Resolução da Assembleia da República n.º 1/2018 proposta pelo Partido Ecologista "Os Verdes" e votada favoravelmente pelo PS, elementos cuja validade se mantém para o presente e para o futuro.
Compreendendo preocupações manifestadas face à mudança de posição de PSD e CDS relativamente ao texto aprovado na Comissão, o PCP reafirma que ponderou devidamente todas as votações.
Aquando da votação na Comissão, o PCP votou contra propostas apresentadas por PSD e CDS que, a pretexto de aspectos financeiros e orçamentais, na prática anulariam a concretização da contagem integral do tempo de serviço e, mais grave que isso, abririam a porta à destruição da carreira por via da revisão do Estatuto da Carreira Docente.
As propostas apresentadas por PSD e CDS significariam fixar um prazo de, no mínimo, 50 anos para a concretização da contagem integral do tempo de serviço, fazendo-a ainda depender das regras do Pacto de Estabilidade e Crescimento - que a impediriam - e, mais grave que isso, abririam a porta à destruição da carreira estabelecendo na lei a revisão do Estatuto da Carreira Docente, objectivo há muito prosseguido por anteriores Governos, nomeadamente pelo Governo de maioria absoluta do PS com os resultados que são conhecidos.
O PCP manterá a sua coerência e prosseguirá a luta para que sejam adoptadas soluções que correspondam à plena concretização dos direitos de todos os trabalhadores, não apenas em matéria de direito à progressão na carreira mas também de aumento geral dos salários, de combate à precariedade e à desregulação dos horários de trabalho, entre outros.

Vale a pena repetir...



 O PCP não tem dúvidas: houve um recuo de PSD e CDS. Para os comunistas, nas horas de vida que tem a atual crise política, PSD e CDS moveram-se sempre por calculismo político e nunca por convicções. “As declarações de Rui Rio e Assunção Cristas confirmam que o PSD e o CDS se moveram não pelo objetivo de dar resposta ao direito de contagem do tempo de serviço dos trabalhadores das carreiras especiais da Administração Pública mas sim por meros critérios de calculismo”, escrevem comunistas num comunicado enviado às redações depois de os dois partidos de direita terem recuado nas posições que assumiram na Comissão de Educação.
O título da própria nota é elucidativo: “Sobre o recuo do PSD e do CDS na consagração do tempo de serviço”. Apesar de tanto Assunção Cristas como Rui Rio terem evitado assumir um volte-face, o PCP não se deixou convencer com os argumentos que os dois líderes apresentaram. “PSD e CDS aprovaram na Comissão Parlamentar um texto que voltaram a defender na sexta-feira. O recuo agora assumido pelo PSD e pelo CDS confirma, como já haviam revelado no debate em comissão, a sua recusa em consagrar a valorização remuneratória devida aos trabalhadores, pode ler-se.
E como há eleições daqui a três semanas, o comunicado dos comunistas não deixa de fora a campanha, onde a estratégia para se demarcar do PS tem sido evidente. “A mudança de posição do PSD e do CDS, mais do que uma cedência ao ultimato do Governo do PS, testemunha a convergência de posições com o PS sempre que é necessário para a manutenção de cortes”. Atirar com o argumento da austeridade para cima do PS, do PSD e do CDS tem sido também parte da estratégia comunista para este ano eleitoral.
As posições assumidas este domingo quer pela líder do CDS, primeiro, quer pelo presidente do PSD, mais tarde, são para o PCP a prova de que houve um recuo que volta a colar os partidos de direita ao PS e traça a linha que separa aqueles que querem travar os cortes daqueles que os querem “manter”. Do primeiro lado da barricada, estão os comunistas, que neste comunicado falam ainda para o seu eleitorado. “O PCP prosseguirá de forma coerente a intervenção e o caminho para a solução que dê resposta a essa e outras aspirações dos trabalhadores e do povo, não se deixando condicionar por pressões”. E repete o argumento que tem vindo a proferir desde a intervenção de António Costa, na sexta-feira: “Não são aceitáveis os ultimatos e pretextos inconsequentes do PS para a demissão do Governo.
Esta é a primeira reação oficial de um partido depois de CDS e PSD terem anunciado que vão voltar atrás em relação às propostas que aprovaram quinta-feira na Comissão de Educação em conjunto com o Bloco de Esquerda e com o PCP.

Só não está informado quem não SE informar

NOTA DO GABINETE DE IMPRENSA DO PCP


Sobre o recuo do PSD e do CDS 

na consagração do tempo de serviço

As declarações de Rui Rio e Assunção Cristas confirmam que o PSD e o CDS se moveram não pelo objectivo de dar resposta ao direito de contagem do tempo de serviço dos trabalhadores das carreiras especiais da Administração Pública mas sim por meros critérios de calculismo.
PSD e CDS aprovaram na Comissão Parlamentar um texto que voltaram a defender na sexta-feira. O recuo agora assumido pelo PSD e pelo CDS confirma, como já haviam revelado no debate em comissão, a sua recusa, em consagrar a valorização remuneratória devida aos trabalhadores. A mudança de posição do PSD e do CDS, mais do que uma cedência ao ultimato do Governo do PS testemunha a convergência de posições com o PS sempre que é necessário para a manutenção de cortes.
O PCP prosseguirá de forma coerente a intervenção e o caminho para a solução que dê resposta a essa e outras aspirações dos trabalhadores e do povo, não se deixando condicionar por pressões.
Não são aceitáveis os ultimatos e pretextos inconsequentes do PS para a demissão do Governo. Para o PCP o que se impõe é prosseguir até ao último dia, o caminho de defesa, reposição e conquista de direitos que se tem percorrido. O PCP dará combate a manobras que visem andar para trás quando o que é preciso é decididamente avançar na resposta aos problemas dos trabalhadores, do povo e do País.