quinta-feira, janeiro 07, 2016

Nem me atrevo a chamar-lhe o que me apetece

O sr. Henrique Monteiro ultrapassou-se. E conseguiu, até, ultrapassar - como é que é possível?! - um cavalheiro que s'assina Vasco Pulido Valente. 
Na sua última krónica, de hoje, que acabo de ler, HM excedeu-se. O título dela é, logo, convidativo: O pior dos candidatos - Edgar Silva. Depois, o texto abaixo de título é abaixo de tudo. Um vómito.
Seria natural que Edgar destoasse neste painel de candidatos. Que dele se discordasse, se estivesse do outro lado das suas opções de vida e luta, que fosse agredido ou mesmo ignorado... agora aquilo! É uma vergonha. Inaceitável! De que estatuto se arroga um ser humano para atacar - assim! - um outro que, no mínimo dos mínimos, merece respeito.
Com pretexto no que poderia um debate sério sobre conceitos como o de democracia, sobre realidades insuficientemente conhecidas e largamente usadas com tanta leviandade. Sobre a Coreia do Norte que se tornou na instituída personificação do Mal, da medieval ou nazi estrela amarela que se impõe na lapela do OUTRO!
Ainda com a mesma arrogante a arte e a manha de se conceder autoridade para, por contraste, atribuir distinção e louvor a Marisa Matias, que, nesse mesmo debate, teria nota bem negativa por ter dito ter votado uma decisão do PE ao contrário do que votou.
Mas... que estou eu a fazer? A escrever, indignado, sobre o que escreveu o sr. Henrique Monteiro? Paro já!  
têm aí o mail...

3 comentários:

Maria disse...

Este rastejante é um asco!

Olinda disse...

Podemos chamar muita coisa feia,que ele merece.Até o título da crónica é provocador.Bjo

Rogerio G. V. Pereira disse...

Mas que importa o ponto de vista desse coiso?