sábado, novembro 05, 2005

Nisto dos blogs...

... um interessante estudo a fazer: o que suscita e o que não suscita comentários.
E não estou a falar a partir (só) deste blog.
Para exemplo, pego num que consulto por causa de coisas/sarilhos em que me meti (ou fui metido?).
Verifico que incidentes num jogo de hóquei foram bravamente comentados por quem não viu o jogo... mas presumiu como as coisas se teriam passado e vá de dar bordoada a torto e a direito; não tendo querido, presumivelmente, responder taco-a-taco a esses comentários, a direcção do clube implicado faz um comunicado esclarecendo algumas coisas que, se a lógica não fosse a batata que é, provocariam, ao menos, comentários do tipo "ah! foi assim? obrigadinho", ou então "não acredito que tenha sido assim...", ou ainda "essa história está bem contada?"
Pois... nada! Perante relato de factos (em cujo se pode crer ou não), perante objectividade (a cuja se pode torcer o nariz ou não)... nada!
O cheirinho a escândalo, a tergiversão, a polémica irada e airada, a catarse sob as formas de insinuação, ou de suspeita ou até de insulto, ah isso sim, isso anima a malta. Confrontar factos, discutir opiniões, avaliar responsavelmente responsabilidades... fia mais fino e é melhor meter a viola no saco enquanto se esperam outras oportunidades.
Isto tem a ver com a época que vivemos, com esta irritação latente que nos perturba, com esta crispação que nos cega quando devíamos ver, que nos cala quando deviamos falar.
Isto acho eu que tenho a mania de achar coisas... e não são notas de 50 euros.

4 comentários:

Anónimo disse...

Tem a ver também com a atracção pela facilidade, pelo supérfluo, e consequentemente a preguiça de ir ao fundo, de procurar as razões. Resumindo, trata-se da eterna luta entre a essência e a aparência, e a alegre escolha da segunda.
Tudo isto só para te contradizer,provando que há quem comente algumas observações mais sérias e filosóficas...

Anónimo disse...

Ou não fosses tu... inicialmente (ou por iniciais) falando.
Mas gostei muito de te ler. Tu contradizendo-me, eu sem me contradizer!

MrSleeves disse...

Se me permite a visita e o comentário, acho que tem razão. Mas vou ainda mais longe; a sede de polémica é tanta que chega a cegar a leitura para se atacar o escritor. Cada vez mais somos forçados a ser fruta espanhola, ou seja, bonitos por fora mesmo que insípidos por dentro.
Noutro ponto de vista, também se pode dizer que os pássaros picam sempre a fruta mais doce...

Sérgio Ribeiro disse...

Caro mrsleeves,
obrigado pela visita e pelo comentário, que vieram trazer, a este modesto cantinho de desabafos, um contributo que me permito avaliar considerando-o excelente.
Volte sempre, talvez sobretudo quando o desacordo a isso o estimular.