domingo, fevereiro 01, 2015

Reflexões lentas - Parafraseando Pessoa e Dario Fo

Confesso que me incomoda. Ninguém tem nada com os meus incómodos e, por isso, talvez não os devesse trazer a público. Mas, tendo em conta que o "meu público" é um reduzido número de visitantes, na maior parte amigos que me lêem para me estimular a continuar a reflectir, aqui venho desbafar. Até porque não desabafar pode criar recalcamentos, problemas internos ou intestinos...
Sou um sujeito cordato e respeitador das instituições. Por isso me incomoda vê-las mal preenchidas e maltratadas. Mas temo-las ocupadas por quem se sabe... pelo que, com todo o respeitinho pelas instituições, me sinto no direito de reagir a erros, dislates, crimes, de quem as ocupa.
Não posso aceitar sem protesto cidadão que o PdaR (e mais gente) ache que ele tem um sagrado direito de reserva, mais absoluto que do padre relativamente aos crentes que a ele se confessam, que o do médico relativamente aos doentes que o procuram na busca de cura ou alívio.
Sem entrar em áreas de interpretação legal-constitucional - rabecas que nunca toquei ou tocarei - o PdaR é um cidadão igualzinho aos outros - já lá vai o tempo do Rei-Sol... - investido (pelos outros!) em funções institucionais. Por isso, acho eu que..., correndo na AdaR - onde têm assento representantes eleitos pelo povinho - inquéritos sobre questões da maior importância para a comunidade, tem este orgão institucional todo o direito/dever de se procurar informar junto do Zé da Esquina como o tem junto do PdaR, com o devido respeito (incluindo formalidades de relacionamento inter-institucional tal como só perguntar por escrito e esperar resposta). Assim como eu, Zé da Esquina que sou, tenho o direito de pegar nas palavras do Pessoa e do Dario Fo e de as adaptar a situações que me incomodam.

1. O homem é um mentiroso. Mente tão completamente que chega a dizer que é mentira a mentira que deveras disse.
2. E não se pode interditá-lo?...


3 comentários:

Olinda disse...

Tens toda a razao!O deusinho do sol roufenho(parafraseando J.Gomes Ferreira,num poema sobre Hitler),ê de tal maneira prepotente e vaidoso,que acredita no que diz!

Bjo

Isabel Lourenço disse...

Mentiroso,cínico e raivoso.
Foto ilustrativa!

JC disse...

Não passa de um indigente, a quem alguns chamam carinhosamenre "pastel de Belém"!