quinta-feira, novembro 15, 2012

O OE13 e os desequilíbrios do ministro das finanças

Agorinha mesmo, ouvi o ministro das finanças, na discussão na especialidade do OE-13, falar dos "desequilíbrios das últimas décadas".

Ah! pois houve!...
  • Antes de mais, desequílíbrios no aproveitamento dos recursos portugueses, do mar e da terra e daqueles que estavam adquiridos, em benefício de outras economias;
  •  desequilíbrios nas taxas cambiais das moedas que o euro veio substituir, e deste em relação ao dólar, com evidente desfavor para os PIGSs;
  • desequilíbrio na construção de auto-estradas, scuts-que-deixaram-de-o-ser, fazendo do País um corpo com artérias a mais e veias e vasos capilares a menos;
  • desequilíbrios na construção de estádios de futebol para um Europeu de 2004, para um jogo de vez em quando e bancadas vazias, de que o de Leiria e Algarve são exemplos de aberrações;
  •  desequilíbrio na criação de grandes superfícies comerciais, ao serviço do capital financeiro, isto é, supermercados a mais e destruição de uma rede de distribuição equilibrada;
  • desequilíbrios na formação de PPP para que houvesse quem tirasse largos lucros dos desequilíbrios;
  • ...
Quer mais?

E porque terão de ser os trabalhadores, os pensionistas, as populações, a pagar a factura dos desequilíbrios para que não contribuiram nem benficiaram?
Há mesmo uma opção ideológica por detrás destas opções aparentemente governamentais.

3 comentários:

Antuã disse...

O Gaspar é um desequilibrado.

Edgar Carneiro disse...

Tão orgulhosamente sós (o Governo), insistindo que não há alternativas, fazem lembrar outros tempos.
Estas políticas já nos fizeram recuar para o século passado e, se lhes dermos tempo, ainda nos farão recuar muito mais.

Graciete Rietsch disse...

Tantos desequilíbrios e todos eles a atormentar os trabalhadores!!!!

Um beijo.