sábado, novembro 26, 2016

Morreu FIDEL

(...) 
Abro um parênteses: MORREU FIDEL” ; 
&-----&-----&
Deixo tudo o resto, e paro em reflexão e homenagem. 
&-----&-----& 
... e indignação perante tanta ignomínia, e tanta indiferença (perante o facto – esperado, inevitável – e as reacções). 
 &-----&-----& 
 Deixo duas amostras: 
«Fidel Castro: o herói, ditador e mito do século XX morreu aos 90 anos»
 &-----&-----&
«Fidel foi um "ditador brutal", diz Trump 
(…) 
Comissária europeia diz que morreu um "ditador"». 
&-----&-----& 
 Calo-me, perante o facto, a dor, a indignação, face à ignomínia consensualizada porque transformada em “verdade histórica” (logo voltarei - ficam para mais tarde a "ditadura" e os "ditadores"... - , se as forças me não faltarem).
&-----&-----&

Viva FIDEL! Cuba, si!

5 comentários:

Maria disse...

Hoje a comunicação social é, ainda, mais nojenta!

Viva Fidel!

Olinda disse...

Sabíamos,camarada,que este dia seria certo e que o sistema mediático não nos surpreenderia!A grandeza de Fidel fere a mediocridade.Bjo

Olinda disse...

Sabíamos,camarada,que este dia seria certo e que o sistema mediático não nos surpreenderia!A grandeza de Fidel fere a mediocridade.Bjo

Academia Arabesque disse...

Hoje acordei com esta triste notícia e confesso que as lágrimas caíram, vieram muitas lembranças...mi Cuba... mi família...depois vejo as palavras as ofensas e penso isto é que realmente é a triste notícia a ignorância das pessoas. Fidel será sempre recordado en mi como algo muito bom na minha vida e de muitos cubanos, foi um grande homem e hoje choro a sua partida.
Um beijo amigo Sérgio
Yolexis

Isabel Lourenço disse...

Homem "GRANDE"!
Viva Fidel e viva Cuba!