segunda-feira, março 28, 2016

Dia da Juventude

Como dizia um muito querido amigo (o camarada Zé Casanova, que tanto nos lembra): a juventude não é o futuro, é o presente!


28 de Março – Dia Nacional da Juventude » Abrir caminho para o Futuro!

belamandilA Interjovem/CGTP-IN convocou para dia 31 de Março, pelas 14h30 no Largo Camões uma manifestação nacional que assinalará o Dia Nacional da Juventude.
No dia 28 de Março de 1947, juntaram-se centenas de jovens num acampamento organizado pelo Movimento de Unidade Democrática Juvenil (MUD Juvenil) em Bela Mandil, no Algarve. Nesse dia, tal como já tinha acontecido noutras vezes e a outros antifascistas, foram reprimidos de forma violenta pela PIDE.
Foi a luta destes jovens e do povo do nosso País que levou, após anos de resistência, à Revolução de Abril e às conquistas que ela nos trouxe.
Este dia passou a ser comemorado em Portugal por estar associado à luta da juventude, mesmo nas piores condições de repressão, por uma vida melhor dentro do nosso país.
O 25 de Abril abriu portas a conquistas demasiado valiosas para serem esquecidas. Consagrou o direito à liberdade e libertou o povo e a juventude das amarras da repressão policial e da censura. Mas foi mais longe ao garantir o direito à greve, à habitação, à saúde, à cultura e ao direito à livre manifestação.
Conquistou ainda pilares fundamentais da nossa economia como a nacionalização de sectores estratégicos que colocou o País a produzir com qualidade e avançou com a reforma agrária que tornou Portugal algo que não é hoje – dependente apenas da sua agricultura.
Conquistou também o salário mínimo nacional em valores que hoje, tendo em conta o poder de compra, são idênticos. Conquistou o direito ao trabalho e ao trabalho com direitos, impondo a estabilidade.
No dia 31 de Março, pelas 14h30 no Largo Camões vamos participar na manifestação nacional vamos comemorar o Dia Nacional da Juventude.
Porque temos direito à habitação, à saúde e à cultura. Temos direito a ter um País que produz e se desenvolve industrialmente, que aproveita os recursos naturais para a pesca e a agricultura, que não está dependente e subjugado aos interesses externos.
Porque temos direito a trabalhar e viver em Portugal, a construir uma vida no nosso País, com salários dignos, com estabilidade, com valorização do trabalho e dos trabalhadores.
Porque exigimos e temos direito a um futuro melhor.
Interjovem/CGTP-IN
28.03.2016

Sem comentários: