segunda-feira, março 11, 2013

Constâncio, Enfatuado & Ridículo, Lª (ou sem limites)




«União bancária na zona euro
é solução a longo prazo

Económico com Lusa
11/03/13 14:04

O vice-presidente do Banco Central Europeu (BCE), Vítor Constâncio, vincou hoje que a união bancária projectada para a zona euro é uma solução a longo prazo para combater a fragmentação do mercado financeiro.

"Para o curto prazo, desenhámos algumas medidas como a OMT (Outright Monetary Transactions - "Transações Monetárias Diretas" em português), que tem sido bem sucedida em reduzir a fragmentação na zona euro", afirmou hoje aos jornalistas, à margem da conferência 'Regulação Financeira - A caminho de um quadro regulatório global?'.
O responsável não quis comentar a necessidade de outras medidas porque considera que "a OMT tem sido interpretada de forma correta pelo mercado como uma barreira [backstop] credível e, como tal, teve um efeito porque foi credível suficientemente".
Vítor Constâncio falava aos jornalistas após a intervenção da abertura da conferência, organizada pelo Instituto Real de Assunto Internacionais, onde afirmou que "a fragmentação do mercado [financeiro] está a perturbar seriamente a política monetária do BCE".
O problema, apontou, é que em alguns países, as alterações à taxa de juro estão a ser transmitidas ao consumidor e empresas, mas "noutros, porque o financiamento do banco é apertado, as taxas de juro não estão quase a ser passadas".
Isto, continuou o responsável, está a "tornar o crédito muito difícil ou excessivamente caro em algumas partes da zona euro". Constâncio defendeu que a união bancária teria um papel positivo em mitigar a crise financeira e a actual situação porque limitaria a fragmentação financeira.
"Um supervisor imparcial que realize testes de stress credíveis acalmaria os receios de que os bancos estão a esconder maus activos em alguns países", garantiu.»

"um supervisor imparcial..."?!
Ele, por exemplo,
aproveitando a sua experiência de supervisor,
com os resultados conhecidos no BPN!
Ou, recuando um pouco,
a sua experiência de secretário-geral
do Partido Socialista,
de onde passou para o Banco de Portugal,
depois de ter perdido as eleições para PSD-Cavaco Silva,
na desgraçada alternância que nos tem entrado em casa,
posto tudo de pantanas
e a que há que pôr fim!

4 comentários:

Luís disse...

Não sei onde é que este senhor pode fazer pior a Portugal, se no BP, se no BCE, se no raio que o parta!
Um abraço inconstâncio

Graciete Rietsch disse...

Estamos rapidamente a passar de um país independente a um país colonizado e submisso ao imperialismo e ao grande capital.

Um beijo.

Olinda disse...

Nao posso com este fulano!Nem consigo adjectivâ-lo.O seu tacho no BCE,deve-se ä sua traicao a Portugal,pois calar as canalhices dos amigos de Cavaco valeu-lhe o cargo.Infame!...

Um beijo



Pedro Namora disse...

Sérgio, a passagem de Constâncio pelo PS teve um objectivo central que convèm não esquecer: oferecer à direita a revisão constitucional por que ambicionava. Feito o trabalho sujo, o homem foi tratar da vidinha. São assim os crápulas.
Um grande abraço querido amigo.