terça-feira, setembro 15, 2009

Oportun(ism)o

No dia em que o Diário de Notícias publica uma entrevista com Jerónimo de Sousa;
na 3ª feira a seguir um fim de semana em que a CDU se afirmou, reafirmou, confirmou, como uma força política na sociedade portuguesa absolutamente impar, que não há almoços em salas do Pavilhão Atlântico que possam apagar (e que não beliscariam se houvesse um mínimo de equidade na informação);
no meio de uma campanha eleitoral que alimentaria complexos de perseguição se fossemos atreitos a essas maleitas (ou quem o seja...)
.
..........a grande notícia do Público, evidentemente cheia de eco(s), é a da "oportuna" decisão de Domingos Lopes, a anunciar uma coisa que "já era" (como disse Jerónimo), que abandonara o Partido, numa carta com um rol de acusações ao PCP que parecem sair de um micro-ondas depois de algum tempo no frigorífico ou no congelador... a que regressarão, depois de servidas.
.
Olhem!, paciência!... que esta é mesmo revolucionária.

16 comentários:

RS disse...

Caro Sérgio

Comprei o DN para ler a entrevista ao Jerónimo. Trata-se de uma entrevista rídicula, na qual o Jerónimo é (do princípio ao fim) forçado a abordar temas sem interesse nem importância nenhuma para o país. O Jerónimo não tem, claro, nenhuma responsabilidade nisso. Mas tratam-se de quatro páginas de DN perfeitamente inúteis para o esclarecimento das propostas e análises da CDU. Ao fim da 2ª página pensei de mim para mim: a maior parte dos leitores já parou a leitura, não chegou aqui.

Quanto ao Domingos Lopes, seria de riso caso o propósito da notícia não fosse tão evidente e tão destinado a prejudicar a imagem do PCP (e por arrasto da CDU) nesta batalha. Tudo isto já foi debatido em 2000, mais coisa menos coisa. Tudo isto remete para uma fase da vida do Partido, felizmente ultrapassada, que muito o prejudicou, empolgada de fora e que aliás coincidiu com a emergência do BE.

Sérgio Ribeiro disse...

Obrigado pelo comentário e pela ajuda a pôr estas coisas no são!

Abraço

Anónimo disse...

Ouvi duas ou três vezes o DL em esclarecimento logo após Abril. Nunca o ouvi comentar a "Invasão da Checoslováquia" coisa que fez agora segundo as Televisões. E isto diz tudo sobre DL. O Jerónimo tem razão quando diz: "Como pode uma pessoa sair de um sitio onde não está?". Um amigo meu entretanto falecido dizia: Quem era e deixou de ser é sinal de que nunca foi.

Antuã disse...

Aquilo parece a carta dum menino amuado.

r. disse...

Pena que seja a única "noticia" dos "noticiários" da Antena 2, desta última semana", que refere o PCP. Coincidência, ou parcialidade de ouvinte mal intencionado?

Fernando Samuel disse...

E que vai ser a «grande notícia» nos próximos dias...

Um abraço.

smvasconcelos disse...

O título do post é do mais esclarecedor e sintético: um oportunista foi muito oportuno para a imprensa dos lacaios que se sabe...

Aristides disse...

Para quem invoca a invasão da Checoslováqui, digamos que demorou um tempinho a reagir. De resto, Jerónimo disse tudo.
Abraço

pintassilgo disse...

Já me parecia muito pedante quando dava aulas na Escola, lá para o Lumiar, que tinha umas cabeças de leão como ornamentos.

Anónimo disse...

-O pobrezimho que não se enxerga.

Graciete Rietsch Monteiro Fernandes disse...

De facto quem está com o PCP com este PCP não se intimida com estes oportunismos tão bem comandados. Mas é triste não pela pessoa mas pelos aproveitamentos. Viva o PCP e a CDU tal como são pois são a nossa esperança para o futuro. Beijos.

Maria disse...

Já gastei lá as palavras que tinha para gastar sobre o assunto. Num recado. Já disse adeus. Porta fechada...

E coloquei o Manuel Freire a cantar! Sabemos porquê...

Beijo

Anónimo disse...

E eu pensava que ele já tivesse saído. Sempre foi um pavãozinho. Ainda me lembro dos tempos em que ele era um dirigente da "linha mais dura". Mas isso foi nos anos 74, 75. Depois, lembro-me quando uma vez visitou a Bulgária e respondia ás criticas ao sistema, com arrogância e desprezo. Este é um daqueles que, podemos dizer, é uma folha seca. Caíu. Bardamerda.

João Oliveira

Sérgio Ribeiro disse...

Estou 100% com a Maria.
Já se gastou muita cera nossa com este tão ruim defunto.
Os outros que consumam a cera, e deitem os foquetes, e apanhem as canas, e façam os moinhos, e os vendam nas feiras e mercados.

Saudações para todos

samuel disse...

O ser humano é um lugar estranho!...

Abraço.

Aristes disse...

A carta de Domingos Lopes