sábado, março 13, 2010

No rescaldo do debate sobre o OE2010

Neste rescaldo, há muito para dizer. E algumas coisas serão ditas aqui.

Quero, agora, dexar uma nota sobre um episódio lamentável. Inaceitável. Qe não pode ficar assim.

O sr. Ministro das Finanças, que vinha mantendo uma postura de homem contido, quase diria cordato, com um ar de "avô que está a prestar serviço", convicto de que está a fazer o melhor... mesmo que seja muito mau o que está a fazer, descarrilou. Mostrou o que tem escondido. E porque está neste governo.
O primeiro sinal de algum destrambelho foi aquela "graça" (mais irritação que graça...) de que trabalha 24 horas por dia e, às vezes, também de noite! Mas isso até podia passar por um certo tipo de humor, e não tinha nenhuma gravidade. A medida do tempo é de cada um, e Teixeira dos Santos lá terá os seus relógios e despertadores com a sua própria medida.

Mas a pedrada do "money for the boys", endereçada aos presidentes de Junta de Freguesia, é da maior gravidade política, e não pode ficar sem reparação.

Na minha ingenuidade, e confiante (!) que o ar que sério e contido lhe via correspondesse não a máscara mas a cara de homem com um mínimo de verticalidade, ainda esperei que o dito ministro tivesse uma palavra de retratação. Uma justificação e retratação. Afinal, todos estamos sujeitos, sob pressão, a não segurar as palavras e dizer as que não queriamos que fossem ditas.

Mas não. Para Teixeia dos Santos é como se não fosse nada. Como se "o que disse está dito, logo, persisto e assino". O que é inaceitável! E obriga(-me) a este comentário que não queria fazer porque não queria valorizar o que não devia ser mais que um episódio (fait divers, diriam os bem-falantes) com justa reacção e correspondente pedido de desculpas.

Por bem menos (a meu ver), por uma graça (ou foi anedota?) absolutamente despropositada e infeliz, já um ministro do ambiente teve de deixar o governo, por um gesto com intenções ofensiva para um deputado já um ministro da economia saiu pela porta baixa do redondel (e foi muito homenageado por outros adeptos da tauromaquia).

E agora, senhor Primeiro Ministro cheio de telhados de vidro, entre outros, o enorme envidrado do "money for the boys", é possível continuar na sua equipa com um ministro que atira pedras aos telhados de outros, que os têm de telha e, nalguns casos, ainda telha de canudo?

8 comentários:

aferreira disse...

- Será a velha táctica do - Agarra que é Ladrão?
Ou talvez a outra do "Foge ladrão que te fazem barão, mas para onde se me fazem Visconde"

aferreira disse...

Ou talvez o sr. ministro das finanças estivesse numa hora das tais vinte e quatro + noite de Conde de Abranhos.
-Esta é capaz de ser a mais certa?

Sérgio Ribeiro disse...

Boas!

Justine disse...

Então não fica?Que importância tem uma "boca" a mais????

... disse...

Olá. É só para indicar a existência de um blog novo:

olhequenao.wordpress.com

Abraço. JG

Antuã disse...

bocas imbecis dum imbecil.

Graciete Rietsch disse...

Serão "boys" aqueles que vivem do rendimento de inserção social? Fica a pergunta. O Sr Ministro que responda.

Um beijo.

Maria disse...

Eu nem queria acreditar no que ouvi. E o homem continuou na maior, como se nada se tivesse passado...
Quem o pode levar a sério?

Abreijo.