sexta-feira, abril 13, 2007

Independente mente

Independente mente de ter esta "história" das licenciaturas e de como adquiri-las quando se está em certos sítios, como daquelas que me são repulsivas, isto é, que centrifugo das minhas (pré)ocupações por uma questão de higiene pessoal (embora a guarde no «recanto dos exemplos a eventualmente usar como "prova de vida" de um certo sistema e de quem se mexe no interior - intestino! - dele»), independente mente de isso, não posso deixar de me deliciar com prosas em que tropeço e me amparam com a ironia "cínica" ajustada aos contornos morais (e murais) da dita "história".
Tinha de ser o Nicky Florentino, cataprum, a acertar(-me) em cheio e a fazer-me ler, deliciado como já disse, sobre o que decidira que ia deixar de me fazer gastar tempo, até porque a luta está noutras paragens e não pode parar na sujidade da unha quando o mal está no sabugo, no dedo, no braço e por ai fora corpo acima e adentro...
Independente mente de tudo o que já p'ráqui escrevinhei, leiam, se quiserem e/ou por favor, este naco florentino:
Uma personagem. É-me indiferente se o senhor eng.º José Pinto de Sousa é engenheiro ou se, tendo ido à tropa, foi cabo miliciano ou o raio que o parta. Fixei-lhe as feições e, para o que quer que seja, para mim foi, é e será o senhor eng.º José Pinto de Sousa, fulano, agora sei, licenciado em engenharia civil pela Universidade Independente. Reitero, licenciado em engenharia civil pela Universidade Independente, cujas instalações são ali para as bandas do Batista Russo, desde milnovecentosenoventaeseis. Posto isto, não se vislumbra o que mudaria se a criatura não fosse licenciada ou fosse licenciada em qualquer outra arte ou inutilidade, tipo engenharia aeroespacial ou direito ou economia ou sociologia. Convenhamos, a situação não está para melindres. A malta deve fazer pela vida, aproveitar as oportunidades e, como dizem os de outrora, instruir-se. Foi o que o senhor eng.º José Pinto de Sousa fez. Ele até tem um mba não se sabe bem em quê atestado pelo Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa, vulgo ISCTE. Para além disto, note-se, nenhuma das suas propriedades académicas é evidente ou importante na teelvisão. Tão pouco o modo como as obteve. Com trabalho árduo concerteza, porque para um gajo ser engenheiro é preciso dar ao chinelo como o caraças. Pelo que o que verdadeiramente releva é que, como qualquer outro, o senhor eng.º José Pinto de Sousa é o que projecta de si em situação pública. E se diz que é licenciado em engenharia civil e se comporta como um licenciado em engenharia civil é porque ele é licenciado em engenharia civil. Ou seja, ele sabe o que é, nós sabemos o que ele é e é uma felicidade para todos. Nicky Florentino.
(in Albergue dos Danados)

1 comentário:

GR disse...

Nada mais há a dizer, depois de lermos este magnífico texto (nas entrelinhas).
Por mim só acrescento, o sr. José Pinto de Sousa, MENTE DESCARADAMENTE!

GR

José de