sexta-feira, julho 03, 2009

Reflexões lentas... sem compromisso, sempre comprometidas

novaiorquinas7:
.
"A crise" está aí. Umas vezes escondida, outras confessada... mas, logo se acrescenta, em fase de recuperação da confiança perdida (perdão, abalada).
Os sinais não entram pelos olhos dentro - que distraídos andam... -, nem eles seriam tão evidentes como alguns que registaram aspectos do quotidiano de 1929-30.
No entanto, quem menos distraído anda, de vez em quando, nas caminhadas pelas ruas e avenidas de Nova Iorque, tropeça com letreiros como este:
Pequenas lojas a fechar, em liquidação de existência(s). Numa delas, não fotografada, a informação de que, ao fim de 22 anos de existência e de "pagamento de licenças", se via obrigada a fechar.
Entretanto, os números publicados do desemprego nos Estados Unidos informam da supressão, durante o mês de Junho, de 467 mil postos de trabalho, elevando o desemprego para 9,5% da população activa, o mais elevado da década.
Esta informação, e outras quaisquer, estão absolutamente submergidas pelo "caso Michael Jackson", numa verdadeira histeria informativa.

3 comentários:

Graciete Rietsch disse...

Sou camarada e admiradora. Gosto de ler o blog. Aprendo muito e apesar dos meus 77 anos continuo a tentar compreender este povo que sempre espezinhado não consegue apoiar quem por ele luta sem pedir nada em troca.Estou a falar de Potugal. Pode ser que a América latina dê uma ajuda se os "americanos" deixarem. Saudações amigas.

J.S. Teixeira disse...

Vejam o artigo de opinião escrito no blogue O Flamingo acerca da "tourada" que teve lugar, ontem, na Assembleia da República.

Anónimo disse...

fala-se da crise como se esses números, de desempregados, de pessoas que perderam suas casas,dos pequenos comércios que fecham fossemapenas numerais, abstrações. Sua foto, seu comentário, vai além. Continue nosmostrando ess face, mbora incômoda da crise na vidadas pessoas. Isso é muito importante.