quinta-feira, julho 25, 2013

De coração com pernas para o ar e lixo de gato escondido debaixo do tapete com rabo de fora

Fez-se uma remodelação na "sala de fora" (é assim que por cá se diz...) da casa a cair de podre. Levaram-se uns trastes para a arrecadação, de lá se trouxeram uns outros. Com os trastes que ficaram, deu-se um arranjo novo à sala, havendo peças de que não se percebe bem a colocação, como um sofá-móvel muito usado e coçado virado contra umas janelas que dão para o exterior. 
Mas a questão foi a de se querer mostrar a parte da casa como sendo nova mas para as velhas funções e, na limpeza que se fez, atirou-se algum lixo, já bastante apodrecido, para debaixo do tapete. Houve quem tivesse visto - mas que cego não veria o que se queria assim esconder?!...-, e tivesse alertado para o "esquecimento" da equipa de limpeza. 
O que é espantoso é que se tenha vindo dizer que a podridão era de quem tinha alertado para o que, mal e porcamente, se quis esconder (como se fosse possível!).
A de-coração está toda de pernas para o ar. Esta "sala de fora" não tem arrumo por onde se lhe pegue!    

4 comentários:

José Rodrigues disse...

O Chancerelle ainda tem a lata de falar em podridão política...o gajo que cheira mal que tolhe!


Abraço

trepadeira disse...

Foi um arranjo escatológico,tantos trastes cheiram tão mal,que nojeira.
Há que atirá-los para a latrina e cobri-los bem.

Abraço,

mário

Graciete Rietsch disse...

Substituiram-se móveis podres por outros talvez mais podres e coniventes na degradação que dia a dia vai aumentando.

Um beijo.

Justine disse...

Texto excelente, chamando a atenção para o que é importante e a comunicação social esconde, ou pelo menos tenta...