segunda-feira, julho 22, 2013

Sobre os encontros do PCP com forças políticas e sociais

Nota do site do PCP

Sobre os encontros do PCP com forças políticas e sociais


No âmbito do convite dirigido pelo PCP às forças sociais e políticas para encontros com vista à avaliação da situação política e aos seus desenvolvimentos, decorrentes da crise política e institucional originada pela concretização do Pacto de Agressão, foram realizados encontros com a CGTP-IN na passada quarta-feira e com o Bloco de Esquerda, o Partido Ecologista “Os Verdes” e a Associação Intervenção Democrática na sexta-feira, dia 19 de Julho.
As reuniões com o Partido Ecologia “Os Verdes” e a Intervenção Democrática confirmaram uma ampla identificação quanto à análise da actual situação, as saídas e soluções políticas e institucionais para superar a crise política, bem como quanto à política alternativa patriótica e de esquerda indispensável ao País. Nestes encontros foi ainda sublinhada a importância nacional e local do reforço da CDU nas próximas eleições autárquicas. A afirmação da Coligação Democrática Unitária enquanto espaço de convergência e acção comum, a sua dimensão de participação unitária e democrática, e o seu reconhecido percurso de trabalho, honestidade e competência, de entrega e dedicação aos interesses e aspirações dos trabalhadores e do povo constitui um elemento da maior importância que os partidos e forças que a integram se comprometeram a ampliar.
A reunião com o Bloco de Esquerda permitiu constatar uma convergência de pontos de vista quanto ao quadro político actual e à necessária exigência da demissão do governo e convocação de eleições enquanto condição para a rejeição do Pacto de Agressão. No quadro da identidade própria de cada partido e das naturais diferenças e posicionamentos, foi reconhecida a necessidade da máxima convergência e mobilização, que muito para lá do espaço dos dois partidos contribuam para abrir caminho a uma outra política e a um outro rumo para o País.
No quadro do encontro com forças sociais – que conhecerão nos próximos dias reuniões com a Confederação Nacional da Agricultura, a Confederação dos Pequenos e Médios Empresários, o Movimento Unitário dos Reformados Pensionistas e Idosos, a Associação de Bolseiros de Investigação Científica, o Conselho Coordenador dos Institutos Superiores Politécnicos, entre outros – realizou-se uma reunião com a CGTP-IN. Este encontro permitiu uma análise da situação marcada pelo agravamento da exploração, empobrecimento, destruição da actividade produtiva, desemprego, comprometimento da democracia e da soberania nacional, pela ofensiva em curso visando acentuar o ataque aos direitos dos trabalhadores, em que se salienta a tentativa de aumentar o horário do trabalho e os despedimentos na Administração Pública, de redução da protecção dos desempregados, de destruição da contratação colectiva. Na reunião foi sublinhado o papel decisivo da luta dos trabalhadores na redução da base social e política de apoio do Governo e a importância do seu prosseguimento e intensificação, articulando os objectivos concretos e imediatos de defesa dos interesses e direitos dos trabalhadores com os objectivos da demissão do Governo, da realização de eleições antecipadas e da rejeição do Pacto de Agressão e da política de direita, abrindo caminho a um Portugal desenvolvido e soberano.
Perante a inquietante evolução e as manobras com vista a perpetuar a política de direita e o rumo de desastre nacional com os mesmos ou outros promotores, o PCP realizará, também, em todo o País, encontros com personalidades democráticas com ou sem filiação partidária, norteadas pelo respeito dos princípios e valores constitucionais e que inscrevem como objectivos a demissão do governo, a realização de eleições e a rejeição do Pacto de Agressão.

2 comentários:

Graciete Rietsch disse...

A unidade é importante quando os objetivos se sobrepõem aos interesses.

Um beijo.

Carlos de Carvalho disse...

"As reuniões com o Partido Ecologia “Os Verdes” e a Intervenção Democrática confirmaram uma ampla identificação quanto à análise da actual situação",ahahahahaah mas não podia deixar de ser assim, afinal são farinha do mesmo saco ou alguém anda esquecido?