segunda-feira, março 26, 2007

Em que tempo estamos a viver?

Adormeci como quem já está a ter um pesadelo. Dormi e, ao acordar, acordei com o pesadelo ainda vivo e, à televisão de ontem, juntou-se a rádio desta manhã para acordado e vivo o manter.
Já não é o apelo de "fugir" para Pasárgada, à maneira de Manuel Bandeira, o que e quem vem à lembrança é Tolstoi que, no fim da sua vida, se retirou como "mujique" para se isolar do mundo que não se sentia com forças para suportar, e que acabou atropelado por um comboio quando até da família fugia.
Mas reajo ao apelo e à lembrança.
O mundo está torto, como diria Cervantes pela voz de D. Quixote (ou vice-versa), e quanto maiores as agressões, quanto mais fundo o desgosto pelo que se vê e vive à nossa volta, mais preciso, mais urgente é a luta. A luta, de cada um, pela informação, pelo esclarecimento, enquanto a expressão mais premente da luta de classes. Como quem está no polo oposto, servindo-se da RPT, RDP & Cia., tão bem sabe. E tão bem sabe fazer na permanente busca da desinformação e do obscurantismo que prossegue o que foi tarefa exemplar e brutalmente executada por Salazar.
E quero afirmar, de novo, o que sempre pensei e disse: a este concurso deveria ter-se dado o que ele merecia, apenas desprezo. Percorrer um caminho que se sabe minado, armadilhado, é ter a certeza de que as minas serão pisadas, que as armadilhas de nós se alimentarão.
Mas foi assim. Paciência. Só resta continuar a luta!

7 comentários:

Anónimo disse...

Não se preocupem! Dos que votaram no Salazar, eram quase todos de Santa Comba Dão!

Anónimo disse...

Só mesmo os comunistas para levarem a sério um concurso destes.

Debaixo do Bulcão disse...

Mas não estaremos realmente a fazer uma tempestade num copo de água?
É a minha opinião, de comunista, assumido, e que assina:

António Vitorino

vitorinices.blogspot.com

betinha disse...

Desprezo, é o que se deve dar!

Unknown disse...

Concordo contigo, querido camarada Sérgio. Que nojice de programa! E participar naquela fraude, invoque-se o que se invocar, só serve, serviu, para a credibilizar. E hoje descobri que inúmeras pessoas recusaram participar assim que souberam que o bandalho fascista seria um dos concorrentes.
Estava tudo minado e só mesmo uma ingenuidade muito grande pode levar algum antifascista a participar naquela trampa, cujo objectivo foi, desde o início, branquear 48 anos de ditadura fascista.
E os que acham que estamos a fazer uma tempestade num copo de água, esquecem que um povo que não conhece a sua história arrisca-se a repetir no futuro os erros do passado.
Nojo e raiva é o que sinto. Passaram apenas 33 anos desde a Revolução de Abril, para mim a página mais bela da nossa longa História, construída com imenso sacríficio, abnegação e coragem, por milhares de homens e mulheres, sobretudo comunistas, que deram tudo para que este povo fosse livre. E a boçalidade, a estupidez, a crueldade dos desmemoriados, num ápice responde com esta infâmia.

GR disse...

Não vi o programa.
Aliás, não vejo nenhum programa televisivo, só o nojo dos telejornais!
Quando li o que se estava a passar, telefonei! Pedi para telefonarem!
Há quinze ou dez anos atrás era impensável assistir-se a mais este retrocesso.
A conjuntura política não só no país como também na Europa tem sido favorável, para a extrema-direita.
Porém, não esqueço, nem perdoo a “ajudinha inocentes e cândida” de “certa pessoa” com o máximo de responsabilidade por este rectângulo com muitos mentecaptos e gente de bem. Essa pessoa foi/é ex-PR, PS, Dr. Jorge Sampaio. Foi o 1º PR a autorizar manifestações neonazis e da FN, foi o 1º PR a encolher os ombros quando, a extrema-direita ostentava bandeiras com símbolos não autorizados pela Constituição da República (Lei 64/78 - Nº 1 artº 3º e artº 46º ), permitiu que as televisões fizessem directos dessas concentrações, deixando esses grupelhos fazerem declarações contra a Revolução de Abril e a nossa tão débil Democracia.
Manifestaram-se várias vezes, cada vez com mais despudor, até um assassino que fugiu ou calmamente saiu da prisão, prestou declarações.
Não posso disfarçar o meu descontentamento, o nojo que tenho por certas pessoas, a passividade deste povo!
A maioria do povo que hoje invoca Salazar há 34 anos não tinham, casas viviam em barracos, caminhavam descalças, vestiam o que para outros era já lixo, comiam batatas com couves, alternando com, couves com batatas e tantos com a mão estendida humildemente mendigavam uma esmola.
Não! não os/as condeno, não era vergonha! Era o fascismo!
Vergonha é, essas mesmas pessoas se terem esquecido de tanto sofrimento!
Vergonha é terem perdoado Salazar, um grande assassino da História!

GR

miguel disse...

mas nós, comunistas, não participámos no programa! (só para relembrar)

também assinalo: não esqueçam que 2500 vermes podem ter feito aquele reultado. basta ter votado 20 vezes cada um, o que não me admira.

O povo esquece-se muitas vezes da sua história porque para tal de facto é condicionado. No entanto, não me parece que seja (ainda) o caso.