quinta-feira, setembro 22, 2005

Há utopias e utopias

A minha utopia do dia:

ganhar o euromilhões

Ora aqui está um exemplo das utopias (que utopias são) pelas quais não luto...
é que nem jogo!

6 comentários:

GR disse...

Um dia fiz umas cruzinhas no totoloto, rendi-me ao jogo!
Determinei que depois da fortuna ganha, viria a Portugal durante um mês! Seis meses em Cuba, cinco na Índia e um aqui, na minha casa!
Fiquei mesmo pela casa, nunca cheguei a registar o totoloto!
Faltou-me a convicção!

GR

Anónimo disse...

Mas que dava algum jeito, confessa que dava! Imagina as dores de cabeça que deixavas de ter com a Som da Tinta...

Sérgio Ribeiro disse...

Claro que imagino!
Por isso é que é uma utopia...

Unknown disse...

Permito-me discordar: ganhar o euromilhões não é uma utopia, é um mero desejo,mais ou menos intenso, em que, ao contrário do que sucede com as utopias, não se crê minimamente. Por alguma razão os portugueses são os que mais apostam no euromilhões: ganham mal, pagam muito para poderem sobreviver e não esperam da vida nada além de sofrimento.

Anónimo disse...

Outra utopia:

Aceito-te como és.

Sérgio Ribeiro disse...

Concordo com a discordância.
Mas "a utopia do dia" não pretende ser - sempre! - rigorosa... pelo que, por vezes, saltará a fronteira para "o desejo do dia".
Mas, desde que suscite comentários como os vossos a "utopia do dia" estará a ser uma secção do anónimo do séc.xxi... que será um "utopia" inteiramente realizada!