segunda-feira, dezembro 30, 2013

Em tempo de balanços

Na sua página Cem por Cento (5 do caderno Economia do Expresso), que vale sempre a pena ler, Nicolau Santos excedeu-se esta semana em ironia amarga. Dentro da sua redoma keyneseana, ele observa a realidade e vai-a comentando. Por vezes com acutilante objectividade, por vezes com irritante incapacidade para ver para fora dos limites da redoma.
Pois desta vez excedeu-se em ironia amarga, mas esta nem pode ser levada muito a sério, como é mester da ironia, precisamente pelos limites da redoma em que o autor se enferma, e lhe impõe. Isto é, (lhe) impede de acrescentar - um parágrafo que seja... - em que se vislumbrem as causas do que denuncia ironicamente. Sobre a relação de forças numa luta de classes sem quartel. 
Pelo que, ao ler, possa parecer descosido ou desligado o que já Garrett mostrava ser (para usar imagem adequada) as duas faces de uma mesma moeda.
O que NS arrola como provas de quão magnífico foi o ano - "recessão inferior ao previsto", "menor quebra do consumo", etc. -, e faz a bem-aventurança de uns poucos já e sempre bem-aventurados, não acontece por acaso, mas por obra e graça, causa e efeito. E faz com que muitos vivamos o 2013 como tendo sido horrível, no que respeita ao nível de vida do povo, aos trabalhadores, aos pensionistas, às massas. Para quem  também terá sido magnífico pelas lutas que mobilizou, pelas consciências que despertou, e ainda por ter havido quem tenha cumprido a sua obrigação de velar pelo cumprimento da lei fundamental.
Também as faces têm mais que uma face!
Que venha 2014.A luta continua!
  

6 comentários:

Olinda disse...

Vai ser um ano muito complicado.Mas câ estamos para o que der e vier.Nao podemos baixar os bracos,perante as medidas que nos atingem.Se ficassemos em casa,sossegadinhos da vida,se nao viêssemos para a rua aos milhares,tudo teria sido ainda pior.Assim,em 2014,prosseguiremos a luta,sem dûvida!

Um beijo

Graciete Rietsch disse...

A luta do Povo tem sido a causa de que não se tenha ido ainda mais longe na desgraça deste País. Mas a desgraça é enorme e 2014 entra com terríveis perspetivas.
Mas a luta continuará,"contínua".
Um beijo e até ao ano.

João Henrique disse...

De desgraça em desgraça sofridas nos últimos 30 e tal anos, nos vamos livrar de 2013. Mas,infelizmente, 2014 não se apresenta diferente politicamente.
Só a força,determinação e luta dos desprotegidos pode alterar o rumo que os "figurões" impuseram ao Povo e ao País.Até lá!

trepadeira disse...

Sempre.
Cá os esperamos, de pé.

Abraço,

mário

GR disse...

Bastante irónico e objectivo. NS escreve bem, porém, nunca escreve tudo. Faltam as palavras que aqui li (tuas) e seria um BOM texto.
O Ano 2014 vai ser muito mais difícil.
Idêntico? Quase. Mas muito pior.
Entramos o ano esboçando um falso sorriso, já com coração dorido de saudade, nos aeroportos.
Fazemos contas à vida, tentando que o dinheiro chegue.
Esperamos que num amanhã próximo não nos encerre o local de trabalho, não mutilem ainda mais a nossa Carta Magna, esperamos…esperamos…esperamos sempre por um melhor Futuro.
É aqui que nós somos diferentes, pois enquanto esperamos, vamos lutando, reivindicando, exigindo, vamos fortalecendo o Futuro que tanto desejamos.
Foi assim que os nossos Heróicos Resistentes nos ensinaram e nós fomos aprendendo, uma caminhada difícil, mas como eles 48 anos depois de duras lutas Venceram, nós iremos Vencer também.
Obrigada também a ti camarada Resistente Sérgio Ribeiro, hoje mais do que nunca necessitamos dessa tua/vossa Força, só assim nunca desistimos.

GD BJ,

GR

yanmaneee disse...

golden goose
fila disruptor
yeezy boost 350
zx flux
yeezy shoes
louboutin
goyard handbags
fila
supreme hoodie
moncler outlet