quinta-feira, dezembro 16, 2010

IDH-2010 - continuação

Sendo cada nação um caso, a “medida” da sua riqueza não pode ser simplificada e, menos ainda, redutoramente reduzida a um indicador de crescimento económico, seja ele o produto interno (PIB) ou o rendimento nacional (RNB), calculados por cabeça e em dólares (US$) e paridades de poder de compra (PPC).
Se esta consideração é irrefutável, os esforços do PNUD para que haja um caminho, uma procura, um trabalho consequente no sentido a levar à prática, é relevante. Não obstante todas as dificuldades, hesitações, decerto erros no percurso, decerto também distorções, fragilidades, ou até “leituras” de base ideológica (de sinal diferente ou contrário à que não nego que é a minha).
Retome-se a lista dos países que podem melhor ilustrar a discrepância nos ordenamentos por RNB e por IDH (isto é, com inclusão de componentes relativas a saúde e educação), entre os 169 países das Nações Unidas que foram arrolados, a que se juntam linhas com mais dois países que particularmente me interessam nesta abordagem (Portugal e Chipre) e os chamados BRIC, além de uma coluna com a evolução destes países no que respeita a IDH, entre 2005 e 2010:

O que posso dizer, por agora, é que esta tabela vai servir para muitos comentários. Aliás, espero que alguns comentários e dúvidas possa suscitar. E - mais! - estou aberto a pedidos de informação sobre países específicos que possam interessar a alguns vistantes em particular.
Além, claro, de ir continuar mais algum tempo com estes IDH e coisas que eles nos podem ensinar enquanto representação da realidade que vivemos.

8 comentários:

Justine disse...

Mas isto dá pano para mangas!É interessantíssimo e tão vasto, que só com um curso...vá lá, de um fim-de-semana -pode ser?

Vasco disse...

Bem...para já acho estranho que o progresso do Brasil em termos de IDH seja entre 2005 e 2010 de 0...tanto mais que é um país com taxas de crescimento, do PIB, e provavelmente do RNB, que por sua vez se reflecte no IDH, consideravelmente elevadas. E tanto mais ainda quanto tenho a ideia que a politica seguida nos ultimos anos, naquele país, é tendente a atenuar as gritantes desigualdades que ali existem. Ou então é o IDH que não reflecte isso...ou então não sei. Mas que não estava à espera, não estava.

Vasco disse...

Ah e Angola ter uma subida de 2 pontos entre 2005/2010 de IDH enquanto Portugal teve uma subida de 3. Começo a desconfiar que está a faltar muita coisa a este IDH...

Vasco disse...

Está bem já percebi os progressos registados são em termos de posição no "ranking"...mas mesmo assim...

Vasco disse...

Pronto. Li mal o quadro e torci isto tudo. Realmente talvez que quanto melhor for a posição do IDH em relação à posição do RNB melhor possam ser os resultados das politicas nesses paises. E assim já começa a fazer sentido para o Brasil, por exemplo. E se assim for verifica-se que as politicas seguidas pelo Chipre dão muito mais resultados que aquelas seguidas em Portugal. E ai digo que não admira nada...é que provavelmente os orgãos de poder do Chipre nao aplicam a receita da UE como aplicam Socrates, Cavaco e Companhia. Assim os resultados ficam mais há vista.

Sérgio Ribeiro disse...

Justine - estás disponível?

Vasco - os teus comentários são estimulantes... até porque antecipam alguns esclarecimentos. Como dizes - e bem! - são ordenamentos em "ranking" e há subidas e descidas que se justificam por trocas ou desaparecimento ou inclusão nas listas. Por exemplo, Cuba estava em 51º lugar no IDH e desapareceu da lista... Mas já lá vamos!

Abraços

Maria disse...

Eu estou disponível....
(e a precisar!)

yanmaneee disse...

christian louboutin outlet
hogan outlet
longchamp outlet
golden goose sale
supreme clothing
vapormax
curry shoes
hermes handbags
nike shoes
goyard handbags